25 de maio de 2016

Positivo e Negativo: Motivos para ler "Azar o Seu!", da Carol Sabar

Olá meus amooores! Tudo bom com vocês? ^-^
Já faz alguns dias que eu finalmente tomei vergonha na cara e decidi que já estava mais do que na hora de ler "Azar o Seu!", da Carol Sabar. Afinal, já tem aproximadamente três anos sim, foi isso mesmo que você leu. Eu sei, é uma vergonha que o livro tá parado na estante, esperando pacientemente a sua vez de ser lido e de distribuir o amor contido em todas suas 367 páginas <3.
Então sim, podem me julgar, eu demorei uma eternidade para lê-lo, mãaaas... O importante é que finalmente foi chegada a hora dele, nénão? Então não me julguem muito u_u uashdiuahdiuaiudhasd.

De todo modo, como vocês devem ter notado pelo título, a "resenha" de hoje vai ser um pouquinho diferente do normal. O motivo? Bom, eu confesso pra vocês que mesmo tendo gostado bastante da leitura, sabe-se lá o porquê cargas d'água eu simplesmente não ando conseguindo escrever uma resenha desse livro. Já perdi as contas de quantas vezes eu tentei escrevê-la e o resultado foi basicamente esse:

Imagem de black and white, gif, and hand
#Frustrada </3

Entãaaao, decidi fazer uma “resenha” um pouco diferente, e ao invés de escrevê-la como um texto imenso e bem lindão, vou tentar me arriscar nos temidos – pelo menos pra mim, que falo mais que a boca – tópicos... E espero que eles saiam tão maravilindos quanto texto u_u Rafaela, humildade em pessoa.

Não sei se essa minha ideia vai dar muito certo, mãaaaas, esperança é a última que morre né? u_u. Então, *dedinhos cruzados* e bora lá pra ver no que vai dar! (((:

Autora: Carol Sabar | Ano: 2013 | Editora: Jangada | Páginas: 367
Sinopse: Bia está parada num engarrafamento, na Linha Vermelha, no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada em dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo...
O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor!
Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é o Guga...

Imagem de dance, saitama, and funny Imagem de anime, Brotherhood, and funny

POSITIVO:

- Escrita da autora 
É claro que o primeiro ponto positivo desse livro tinha que ser essa narrativa maravilhosa! A Carol escreve muito bem, e consegue criar uma narrativa extremamente fluida e cativante, o que acabou me pegando desprevenida, já que não esperava me envolver tanto assim com a história e seus personagens. Também gostei muito do fato da autora ter feito um "link" com a nossa realidade, citando ao longo da narrativa programas como o Jornal Nacional, o BBB, os romances de banca Sabrina, Júlia, entre outras coisas presentes no nosso cotidiano, fazendo com que consigamos nos aproximar ainda mais da história e da realidade dos personagens, como se a Bia fosse uma amiga próxima e estivesse nos contando sobre o seu dia-a-dia tragicômico.

- Risada garantida 
Sério gente, é simplesmente impossível não rir lendo esse livro! Como a narrativa é feita em primeira pessoa, acabamos passando muito tempo na cabeça da personagem... E devo dizer que o que encontramos por lá pode ser bem divertido. Fora toda a personalidade da Bia e a sua incrível propensão a se meter nas situações mais malucas da vida. Se é culpa da sua maré de azar ou não, aí eu já não sei, mas que acaba rendendo ótimas cenas dignas de um chick-lit, isso com certeza!

- História aparentemente sem muita profundidade, mas que traz algumas reflexões implícitas 
Achei isso muito bacana, pois pensava que seria só mais uma história leve e "rasa", pra passar o tempo, sabe? Mas acabamos nos surpreendendo com algumas reflexões implícitas ao longo da narrativa e principalmente no final. O tipo de coisa que nos faz questionar sobre o rumo que estamos dando às nossas vidas, e se é isso mesmo que vai nos trazer felicidade. Estamos sabendo nos arriscar, ou será que o medo do futuro consegue ser maior do que os nossos sonhos? essa sou eu sendo poética e reflexiva. 

- Ligação com os personagens e suas histórias
Sabe aquele tipo de história que consegue te sugar para dentro do universo criado a partir das palavras da autora? Sabe quando você se torna tão próximo do personagem e do que ele tá vivendo que nem parece um personagem em uma folha de papel, e sim um amigo próximo te contando uma história? Pois bem, eis o que "Azar o Seu!" me fez sentir. A autora realmente conseguiu dar vida a história e aos seus personagens, o que fez com que esse livro conquistasse um lugarzinho no meu coração <3

- “Flashbacks”
Gostei muito da autora ter feito uso de uma espécie de "flashbacks" da infância dos personagens ao longo da narrativa. Considerando a importância que a infância dos personagens tem com relação a história que nos é contada no presente, achei bacana a autora ter dado uma atenção especial ao desenvolver cenas do passado ao longo da trama. Fora que várias dessas cenas foram super amorzinho e mostraram que pode passar o tempo que for, mas tem certas coisas que nunca vão mudar.

- Personagens secundários que roubam a cena
A autora tem um talento todo especial quando se trata de criar personagens secundários. Sério. Eu simplesmente AMEI cada um deles, com um destaque especial para a Raíssa e o pai da Bia <3

Imagem de anime, funny, and gif Imagem de anime, tokyo ghoul, and funny

NEGATIVO:

- A história desanda um pouco da metade pro final
Sim, meu povo, eu sei que o primeiro tópico dos pontos positivos do livro foi justamente a escrita da autora e toda a sua fluidez, mãaaas... Nem tudo pode ser morango com chantilly, não é mesmo? Infelizmente a história não continua com toda aquela fluidez do começo, e acabamos nos deparando com uma enrolação sem fim - e extremamente desnecessária, na minha opinião - no que diz respeito ao romance e a nossa mocinha... E é aí que entra o nosso próximo tópico.

- Relação de amor e ódio com o casal principal + Mocinha que não sabe o que quer
Sério gente, o que foram esses dois? Perdi as contas de quantas vezes eu passei do amor ao ódio em questão de segundos com as atitudes deles. Fora que toda a enrolação que a autora criou no que diz respeito ao relacionamento dos dois realmente conseguiu me tirar do sério! Infelizmente, eu não sou o tipo de pessoa muito paciente, principalmente quando o assunto é enrolação no quesito amor. Na verdade eu sou bem prática: ou fica junto logo, se ama e vai ser feliz, ou dá logo um basta e vai cada um pro seu canto. Mas é claro que a Bia não conhece a minha pessoa e não sabe o quanto sua indecisão me fez sentir vontade de socá-la ^-^

- Narrativa fica muito na cabeça da personagem
Como eu disse lá em cima, o livro é narrado em primeira pessoa, então já é esperado que fiquemos bastante tempo na cabeça da personagem... Mãaas, nesse livro a coisa é bem mais intensa, tendo mais pensamentos muitos pensamentos e descrições do que de fato diálogos. Graças a Deus a autora escreve muito bem, então acaba não ficando tão cansativo quanto poderia caso tivesse sido escrito por outra pessoa. É claro que esse é um ponto negativo bem relativo, já que depende do gosto do leitor, mas eu achei válido comentar, considerando que muita gente não gosta desse tipo de narrativa u_u.

- Talento para contar histórias... mas nem tanto para criar apelidos
Esse é um motivo/ponto superficial? Sim; É relevante comentar? Não, mas eu quis comentar mesmo assim u_u kkkkk. Eu sei que tem gente que nem repara nessas coisas, mas infelizmente eu sou um ser detalhista que se incomoda com coisa que deveria passar batido. Mas fazer o que, né? Cada um é cada um. No caso de "Azar o Seu!" o que me incomodou não foi nem tanto o fato de haverem apelidos, mas sim o modo como isso infantilizou a história e até mesmo alguns personagens. Fossem nomes no diminutivo ou apelidos criados de acordo com características do personagem, eu realmente achei desnecessário ]: 


Eu quis colocar tanto os pontos positivos quanto os negativos para que vocês pudessem analisar e ver o que mais pesa pra você na hora de decidir se é um bom livro ou não. É claro que deu pra notar que os pontos positivos são maiores que os negativos, mas aí vai de você decidir qual dos dois lados contou mais pontos de acordo com o seu gosto.

De um modo geral, foi um livro que eu gostei bastante e que acredito que, mesmo com os seus altos e baixos, consegue te conquistar ao menos um pouquinho. É uma história leve e divertida, com personagens cativantes que conseguem despertar as mais diversas reações no leitor. Uma história envolvente a tal ponto que te aproxima dos personagens quase como se eles fossem seus conhecidos. Mesmo com um ou outro ponto negativo, acredito ser uma leitura válida pra quem curte comédia romântica e os seus clichês, e está buscando uma leitura leve para passar o tempo (;

Esse livro faz parte do Desafio literário para meros mortais 2016 e cumpre a categoria "Um livro nacional".

Bom meus amores, eu acho que é isso. É claro que, para uma resenha em tópicos essa aqui ficou bem maior do que deveria, mãaas... Vocês me conhecem e sabem que ser sucinta não se encaixa no meu perfil, não é mesmo? u_u ashduahsudhasiudiuads.
Espero que tenham gostado e não se esqueçam de comentar dizendo o que acharam desse tipo de "resenha". Quem sabe eu não faço mais posts desse tipo, não é mesmo? (((:

Um super beijo :* <3
Imagem de naruto and rock lee

2 comentários:

  1. Suuuuuuuuuunbae ♥

    Como você está? *u*
    Menina, nem preciso dizer o quão feliz eu fiquei quando vi um post novo por aqui (vi no dia que você postou, mas estou comentando só agora, porque sou uma pessoa extremamente organizada com os meus horários - sqñ). Sinceramente, achei que você fosse abandonar o blog ou coisa assim u_u Mas eu sei como é. Um post bem feito precisa de inspiração e eu sei que você sempre espera ela bater na porta (por isso que seus posts sempre ficam maravilhosos u_u Ao contrário dos meus que são feitos sob pressão e acabam ficando uma merdinha. Não sei porque eu me propus a fazer aqueles posts mensais. Nunca tenho inspiração para escrevê-los T^T).

    Demorou para postar, mas já chega dando um "TURN DOWN FOR WHAT?" com essa resenha maravilhosa, super bem escrita e revisada. Sério, eu adoro o seus textos (e você sabe!). Acho eles tão perfeitinhos ♥ Me bate até aquela crise existencial depois de ler algo de sua autoria kkkk "Por que eu não escrevo bonito assim? Para que eu vivo?". Sério, bate uma bad louca aqui kkkkk [Para de me fazer entrar em bads, por favor! Eu já tenho bads suficientes para NÃO saber lidar kkkk]

    Maaaaas focando na resenha...

    Adorei esse "novo" formato de resenha que você utilizou dessa vez. A primeira vez que eu vi uma resenha desse gênero foi no blog "Divaneadoo" e achei suuuuper legal. Além de tópicos/listas facilitarem a vida de quem escreve, o post acaba se tornando mais dinâmico. As vezes ler uma resenha normal acaba se tornando um pouco maçante.
    Em suma, se minha opinião é de alguma valia, eu suuuper aprovo esse novo formato de resenha, embora você tenha falhado um pouquinho em ser sucinta – o que não me incomoda de maneira nenhuma, pelo contrário ♥-, adoraria ver mais resenhas como essa aqui no blog. [Não que suas resenhas normais sejam ruins, pelo contrário. Mas não posso negar, resenhas nesse formato são bem mais divertidas]

    Sobre o livro, acho que os pontos estão bem contrabalanceados. Mas, ainda assim, acho que os pontos positivos pesam um pouquinho mais na balança, não é mesmo? Portanto, penso que seja uma leitura que vale a pena investir. Afinal, mesmo com uns pontos negativos que me deixam com pé atrás – "história desanda um pouco da metade pro final", "mocinha que não sabe o que quer" (chega até dar uns friozinhos na barriga) -, os pontos positivos podem tornar a história bem proveitosa.

    “Azar o Seu” está na minha wishilist já faz um tempinho, mas depois da sua resenha acho que vou dar uma certa prioridade para esse nacional que promete muitas risadas. Estou precisando muito ler algo que me faça rir e você sabe o porquê (pessoa depressiva e tals kkk). Infelizmente não prometo ler tãaao breve, por causa da grana e tals (non have no momento kkk)...

    Enfim, Sunbae! Adorei a resenha. Impecável como sempre!
    Aguardo novos posts ♥ [Em outras palavras, vê se não some! kkk Manda essa preguicite tirar umas férias.]
    Kissus ♥
    https://embuscadefinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Rafaela!!

    Tudo bem? Já era pra eu ter comentado aqui antes porque faz um tempinho que li a resenha, mas me faltou tempo.
    Falando em tempo, faz muuuuito mesmo que eu não leio um livro... Estou lendo um, mas minha cota de leitura esse ano está absurdamente menor, nem dá pra acreditar. Até minha família está estranhando, porque eu sempre estava com um livro na mão, onde quer que eu fosse, hahaha.

    Mas bem, vamos á resenha.
    Não conhecia o livro, e pela foto do início do post, admito que não me interessei (não curto muito chick-lit, tive um trauma com Becky Bloom e I Love New York), ainda mais por conta da capa que já denuncia mais ou menos como vai ser a história. Mas como é de uma autora nacional, tentei deixar o pré-conceito pra lá e segui em frente na resenha.
    Que bom que você falou dos pontos positivos e negativos, e eu concordei bastante com alguns deles! 'Flashbacks': acho muuuuito mais divertido uma história que é conectada de alguma forma á coisas do passado. Deixa tudo mais interessante.
    'Personagens secundários que roubam a cena': esse é o que mais acontece, o que eu mais vejo em livros, séries, dramas... kkkkkk Ás vezes eles me cativam beeeem mais do que os próprios protagonistas.
    Quando eu li o 'mocinha que não sabe o que quer' me doeu um pouco. Sou super crica com esse tipo de personagem. Eu sou super decidida, por mais que fique em dúvida, eu sempre acabo optando por uma coisa em específico, dificilmente meeeesmo são as vezes que eu fico em cima do muro, então lidar com personagens (ou pessoas) assim me deixa um pouquinho irritada. Mas a gente dá um desconto por ser uma questão do coração, que a gente nunca tem a resposta na ponta da língua.
    A parte dos apelidos me fez rir um pouquinho. Eu amo nomes, dou nome pra TUDO, e gosto que os nomes tenham um bom significado ou motivo (pelos quais eu dei tal nome para tal coisa) e que os apelidos também sejam favoráveis, então achei super válido esse ponto, hahahaha'

    Enfim: não acho que compraria o livro pra ler, mas se eu conhecer alguém que está disposta a me emprestar, eu pego pra ler com certeza. Fica a dica de conhecer autores nacionais e apoiar a leitura no país :D

    Bjs!!!
    Ariane - http://2-pontinhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


A opinião é livre, não pode nem deve ser violentada.
(Baltasar Gracián y Morales)